ECONOMIA

Reajuste dado por Bolsonaro a policiais vai custar R$ 3 bi em ano eleitoral.
Presidente pediu que Paulo Guedes encontre uma alternativa; custo total será de R$ 11 bi em três anos.


Jair Bolsonaro e Anderson Torres

O projeto de reestruturação das carreiras policiais, protocolado na 2ª feira (13.dez) pelo ministro da Justiça, Anderson Torres, no Ministério da Economia, tem projeção de ter um impacto de mais de R$ 11 bilhões nos cofres públicos levando em consideração os valores que serão pagos em 2022, 2023 e 2024. Pela proposta, no próximo ano, que será eleitoral, os reajustes para os órgãos - da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Penal e Departamento Penitenciário Nacional, o Depen - vão custar R$ 2,8 bilhões. Sem o aumento, o valor com o pagamento dos salários dos servidores da área da segurança seria de R$ 10,8 bilhões. Com o projeto, o valor passará a R$ 13,6 bilhões.

Os reajustes terão maior impacto a partir de 2023, porque a proposta elaborada pelo Ministério da Justiça prevê a reestruturação das carreiras. A previsão é gastar mais de R$ 4 bilhões por ano. No caso da Polícia Federal, por exemplo, delegados mais experientes já no fim da carreira terão reajustes que poderão chegar a mais de 30%. Serão criadas novas classes para os delegados.

A proposta prevê também um Plano de Cargos do Ministério da Justiça e Segurança Pública. No caso do Depen, está prevista a reestruturação das carreiras de Especialista Federal em Assistência à Execução Penal e Técnico Federal de Apoio à Execução Penal.

Para não dar brecha à equipe econômica, Bolsonaro fez questão de ir pessoalmente até o Ministério da Economia durante a tarde de 2ª feira (13.dez) e avisou Paulo Guedes que o projeto precisa sair do papel. O ministro Anderson Torres colocou nas redes sociais uma foto fazendo a entrega da proposta, no entanto, o presidente não apareceu na imagem. Quem acompanhou o encontro informou que a presença de Bolsonaro serviu para que a proposta seja prioridade da equipe de Guedes.

Em novembro, o presidente havia dito que parte do espaço fiscal que o governo vai conseguir no Orçamento do ano que vem com a PEC dos precatórios poderia ser usada para a concessão de aumento às categorias da Segurança Pública.

As projeções feitas pelo Ministério da Justiça tratam do impacto nominal sem considerar a inflação do período.

SBT News



Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp

Participe do nosso grupo e canal do Telegram




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



ECONOMIA  |   20/01/2022 12h55





ECONOMIA  |   01/12/2021 08h39