POLÍCIA

Incêndio em centro de tratamento deixa 11 mortos em Carazinho
Fogo atingiu local de apoio a dependentes químicos na noite de quinta (23). Bombeiros ainda trabalham no rescaldo e na busca por mais vítimas.

Um incêndio de grandes proporções no Centro de Tratamento e Apoio a Dependentes Químicos (Cetrat) em Carazinho, no Norte do Rio Grande do Sul, deixou pelo menos 11 pessoas mortas, na noite de quinta-feira (23/06). Dez delas morreram no local e uma no hospital. Todos eram homens. O fogo começou por volta de 23h00.

Duas pessoas foram levadas para atendimento médico, uma delas está em estado grave e uma estável. Outras duas conseguiram sair do local sem ferimentos. A informação inicial é de que, no Centro, estavam pelo menos 15 pessoas.

De acordo com a corporação, o combate ao fogo começou no final da noite, e bombeiros seguem no local. O  Centro fica no bairro Vila Rica.

Algumas das vítimas, conforme informações dos bombeiros, foram encontradas em uma área de dormitórios e próximas às janelas, o que pode indicar que elas tentavam sair do local.



A parte consumida pelo fogo era de madeira. Ainda segundo os Bombeiros as janelas não tinham grades mas eram pequenas, por onde uma pessoa não conseguia passar.

Ainda não há confirmação sobre a identidade dos mortos e as causas do incêndio. O caso está sendo investigado.

O prefeito de Carazinho, Milton Schmitz , decretou luto oficial no município por três dias, em respeito às vítimas e seus familiares. "Carazinho vive um luto coletivo neste momento triste em que a tragédia se abate sobre famílias das vítimas", disse, em nota.



A perícia ainda trabalha para identificar as 11 pessoas mortas no incêndio. Uma delas, que era morador de Vila Lângaro, a 75 km da cidade, teria alta nesta sexta-feira (24), conforme o secretário de Assistência Social do município, Douglas Biasotto.

''Ele estava há seis meses internado para tratamento e ia voltar. Na verdade, ia dar alta no dia de hoje. O pessoal ia buscar ele hoje. A família está bem abalada", diz.


- G1 / O Guardião da Notícia.



Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp

Participe do nosso grupo do Telegram




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍCIA  |   05/08/2022 21h58