JUSTIÇA

Ministério da Defesa começará a analisar código-fonte das urnas eletrônicas nesta quarta (03/08), diz TSE
Ministério enviou ofício 'urgentíssimo' ao tribunal pedindo acesso ao material. Segundo o TSE, todas as entidades fiscalizadoras podem verificar documentação desde outubro de 2021

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou nesta terça-feira (02/08), que o Ministério da Defesa começará a inspecionar, nesta quarta (03/08), o código-fonte que será utilizado nas urnas eletrônicas nas eleições de outubro.
O código-fonte é um conjunto de linhas de programação de um software, com as instruções para que o sistema funcione. A abertura dessas informações a especialistas permite que o sistema seja inspecionado e garantido pela sociedade civil.

O Ministério da Defesa é uma das entidades fiscalizadoras previstas nas regras internas do TSE e, por isso, já tinha direito a acessar as informações desde o dia 04 de outubro de 2021. A solicitação, no entanto, só foi feita ao tribunal nesta semana - faltando dois meses para o primeiro turno.

O ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, enviou um ofício classificado como "urgentíssimo" ao TSE nesta segunda (01/08). O documento pede que técnicos das Forças Armadas sejam autorizados a acessar os códigos-fonte entre os dias 02 e 12 de agosto.

O pedido foi registrado dez meses após o acesso ter sido disponibilizado pelo TSE. Em outubro de 2021, o então presidente do tribunal, ministro Luís Roberto Barroso, pediu que as entidades fiscalizadoras agendassem a inspeção com 10 a 15 dias de antecedência. O prazo não foi respeitado no pedido da Defesa.

"Considerando que a ausência das referidas informações poderá prejudicar o desenvolvimento dos trabalhos da supracitada equipe quanto ao cumprimento das etapas de fiscalização previstas na Resolução do TSE e, também, que há a necessidade de um ponto de contato que facilite as ações de fiscalização, reitero as solicitações em comento", disse o ministro da Defesa no ofício.

Inspeções em série

Ao longo dos últimos dez meses, diversas outras entidades fiscalizadoras já acessaram e verificaram o código-fonte que será inserido nas urnas eletrônicas para as eleições 2022. Nenhuma delas divulgou qualquer suspeita ou inconsistência que pudesse ameaçar a segurança dos votos.

Segundo o TSE, o código já foi verificado nesse período pela Controladoria Geral da União (CGU), pelo Ministério Público Federal (MPF), pelo Senado e pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

O PV e o PL (partido de Jair Bolsonaro) marcaram datas para a inspeção, mas não chegaram a fazê-lo. O PTB, de Roberto Jefferson, está inspecionando nesta semana o código-fonte. A inspeção da Polícia Federal deve ocorrer ainda neste mês.


- G1 / O Guardião da Notícia.



Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp

Participe do nosso grupo do Telegram




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



JUSTIÇA  |   04/08/2022 22h46